Velho se faz novo

Do velho se faz novo, neste novo registo que de novo nada tem, para além de uma data, data de formação, onde para demonstração, são feitos alguns cliques e na sorte sai a rifa, da relação da cifra que na câmara digital se relaciona, de maneira tal que da noite se faz dia, e até houvera quem rira por ficar a saber mais um pouco daquilo que não saberia.

Mas esse velho castelo, outrora Castelo Velho, é agora conhecido, pelos que tem aparecido, por Forte de Rego de Fontes. São as pontes dos caminheiros, uns turistas porreiros, peregrinos e mais andadeiros que por ali passam ligeiros.

E do clique demorado, a trinta segundos passado, dirigido à porta do forte que para captar a luz à sorte, o diafragma ajustou, seis virgula três de abertura, para um ISO sensível de oitocentos granulados para obter esta gravura.

Mas não foi tudo bravura, após ver o resultado, fiquei logo todo borrado, porque a luz não estava boa e toca lá a afinar, num retoque de debrum com recurso ao “lightroom”.

E mais não quero acrescentar por sentir que vão pensar que me estou p’ra aqui a armar, mudando a minha postura, de pessoa bem madura que se cala para o mundo como se vivesse em ditadura.

Nota: Relativamente a este forte, podem obter-se mais informações no site FORTALEZAS.

VELHO SE FAZ NOVO, Castelo Velho, Fortim da Areosa ou Forte de Rego de Fontes.

Deixe mensagem (Leave a Reply)

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Powered By WordPress | Music Artist