povo de fora

Povo de fora que dá corpo ao povo de dentro.

De dentro de uma cidade que tem nome de Viana.

Viana do Castelo, com castelos variados, faz uma festa anual, com espetáculos e tal.

O cortejo é um deles, cena, cenário encenado, é momento de figuração.

São as festas D’Agonia, entre cenas encenadas, há gente que desatina, em cenas representadas, mas há gente genuína.

Quem vê percebe ou não, mas gosta porque está à mão!

Findo o espetáculo, muitos forçam a partida, entre atropelos da ida, vão vencendo o obstáculo.

Muito havia que dizer, sobre cada fotografia! Diga lá o que quiser, sobre esta romaria!

You did not specify a return url in the settings
You did not specify a price in the shortcode

O retrato diz tudo

Por muitas palavras que se procurem, há imagens em que essas palavras são difíceis de associar porque a imagem por si diz tudo! Apesar de ser um momento encenado, a expressão da criança não deixa de ser genuína! Todo o ambiente é recriado, toda a figuração é representativa, o cenário tem adereços próximos da realidade ancestral, mas a expressão da criança é real! O retrato diz tudo!

Foi assim, mais um retrato no cortejo da Romaria da Senhora D’Agonia.

O futuro vem ai
O futuro vem ai

O cartaz

O que tas a fazer!?

Tou a fazer o Cartaz!

Cau cartás!?

O Cartaz das festas da Romaria da Senhora D’Agonia!

Intom bamos ber!

Lá vem ela no carro com sua imponência. Rainha por três dias nas festas em honra da Senhora D’Agonia. Diz adeus aos forasteiros e também aos “dentrosteiros”.

O cartaz
O cartaz

Mas o carro continua e o sorriso rasgado, faz toda a gente sorrir, menos os contestatários e os muito outros sisudos. Porque polémica aparte, o que importa são os louvores. Fiquei triste porque o meu cartaz não foi escolhido! Ah! Pois é! Eu também tinha uma proposta. Um cartaz que nada dizia, com uma imagem sem nada conter, em tons de infravermelho carregado de riscos ultravioleta! Original o meu cartaz de uma composição sem elementos, merecia pelo menos uma menção honrosa pela honra de apresentar um cartaz que não se vê!

O cartaz
O cartaz

E a marcha continua! Non stop! Há ainda muito mais de um kilometro para fazer e como se diz cá na terra, ainda a procissão vai no adro!

O cartaz
O cartaz

Mas esperem para o ano! Estou a pensar numa proposta! Vai ser pro sem bela posta, desenhada toda à mão em papel canson. Riscado todo à pena, só com água da torneira e colorida com aguarela à base de água destilada com pigmento incolor. Será um desenho provocador, para estimular o rancor!