apenas fotografia

You did not specify a return url in the settings
You did not specify a price in the shortcode

Numa época onde se debate a confusão entre a realidade e a manipulação, com apenas fotografia, longe de qualquer tipo de manipulação, obter um resultado destes, pode deixar alguns observadores incrédulos. Mas a realidade é que esta imagem teve origem num único clique.

É assim que vejo a fotografia! A manipulação tem interesse para efeitos criativos. A informação tem que estar isenta manipulação. Tem que ser real e não real mente! Para ser real tem que ser genuína! Quando real mente, passa a ser artística ou até mesmo ridícula! E embora a arte conte história, é uma história floreada sem cores naturais, sem preto e branco natural! Mas a arte já foi documental! No entanto, sem manipulação, podem fazer-se registos criativos!

Mas como o assunto entre a realidade e o documental carece de um debate sério, de um estudo aprofundado para que se esclareçam as cabeças baralhadas, os neurónios do hemisfério direito do meu cérebro estão de costas voltados para os neurónios do hemisfério esquerdo do mesmo cérebro que aguardam em silencio por um debate consistente e esclarecedor.

 

partida dos vaurien

Um dos momentos mais belos de uma prova de vela da classe vaurien é a partida dos vaurien. Quando a essa beleza intensificamos a luz, cria-se o verdadeiro desenhar com a luz!

Fonte: partida dos vaurien Foto de Rafael Peixoto | Olhares – Fotografia Online

fotojornlista João Silva

You did not specify a return url in the settings
You did not specify a price in the shortcode

Em Viana do Castelo, nos dias 13 a 17 de abril, decorreu o Prémio Estação Imagem 2016, organizado pela associação estação imagem com a colaboração da câmara municipal de viana do castelo. O evento contou com a presença do fotojornlista João Silva, do New York Times, entre outras individualidades da fotografia, que deu o testemunho da fatalidade sofrida em cenário de guerra, numa descrição da realidade dos cenários de guerra por onde passou, bem como todo o seu processo de recuperação até regressar à vida ativa. Falou ainda das motivações que o levaram a seguir a profissão de repórter de guerra.

Apresentou diversas fotografias do seu vasto portefólio, nomeadamente as que conseguiu tirar depois de ter sido vitimado pela explosão da mina no Afeganistão.

Além da conferência foi ainda membro do júri do concurso prémio estação imagem 2016.