fogo na ponte da amizade

A expressão debaixo do fogo é muito conhecida. É desta forma que, para contrariar a tradição, estando por baixo, houve fogo na Ponte da Amizade com a diferença desta ficar por cima do fogo.

Para documentar o momento, foram feitos registos fotográficos com a presença de alguns dos participantes. Assim e na segunda fotografia, aparecem dois dos elementos participantes na atividade, com a Ponte da Amizade e as águas do Rio Minho pano como fundo.

Exercício de light painting durante um workshop promovido pela FUNDAÇÃO DA BIENAL DE CERVEIRA. Atividade ministrado por Lilian Barbom aquando da estadia na Residência Artística promovida pela referida Fundação.

bailado luminoso

Um bailado luminoso pelo processo light painting . Um processo com recurso a longa exposição. Para obter este resultado foram executadas três iluminações distinta, das quais, uma na aresta anterior do portal, outras na aresta posterior do mesmo portal e a terceira, o rasto aleatório.

São registos que se conseguem obter individualmente. O maior ou menor domínio do equipamento fotográfico determinará o sucesso dos resultados.

O método aconselhável para a execução registos de light painting, tal como este bailado luminoso, passa pela criação de grupos de trabalho e planeamento geral das composições. Os grupos podem ser reduzidos, ao mínimo obvio de dois, sendo o ideal de três ou mais. É claro que se o numero for demasiado grande, torna-se confuso.

Depois de tudo isto, e já no terreno, é só dar azo à criatividade.

Exercício de light painting durante um workshop promovido pela FUNDAÇÃO DA BIENAL DE CERVEIRA. Atividade ministrado por Lilian Barbom aquando da estadia na Residência Artística promovida pela referida Fundação.

light painting pirotécnico

O light painting é usado como simples ensaio fotográfico para o treino de registo de longa exposição. Exemplos disso é o light painting pirotécnico que permite composições luminosas com resultados diferentes. Neste ensaio, o ambiente escolhido foi uma porta do Castelo de Vila Nova de Cerveira, onde se desenhou com a luz de palha de aço incandescente.

Trata-se de um exercício comum das comunidades de fotógrafos e que requer alguns cuidados. Um deles, o da proteção individual e do grupo com o objetivo de evitar queimaduras. O outro é o da escolha do local que não deve conter nada que possibilite a ignição de um incêndio. Por outras palavras, quem produz o efeito luminoso terá de se proteger para não sofrer queimaduras e estar a uma distância de segurança do equipamento e dos fotógrafos. A roupa também não deve conter materiais facilmente inflamáveis.

Os locais não devem conter vegetação seca ou plantas facilmente inflamáveis, nem superfícies que permitam a propagação do fogo. É por esse motivo que muitas vezes, no light painting pirotécnico, se procuram construções de pedra ou betão, longe de vegetação. bem como praias ou zonas de bastante humidade.

Exercício de light painting durante um workshop promovido pela FUNDAÇÃO DA BIENAL DE CERVEIRA. A atividade foi ministrado por Lilian Barbom aquando da estadia na Residência Artística promovida pela referida Fundação.