O retrato diz tudo

Por muitas palavras que se procurem, há imagens em que essas palavras são difíceis de associar porque a imagem por si diz tudo! Apesar de ser um momento encenado, a expressão da criança não deixa de ser genuína! Todo o ambiente é recriado, toda a figuração é representativa, o cenário tem adereços próximos da realidade ancestral, mas a expressão da criança é real! O retrato diz tudo!

Foi assim, mais um retrato no cortejo da Romaria da Senhora D’Agonia.

O futuro vem ai
O futuro vem ai

O futuro vem ai

Olhando para o cortejo vemos que o futuro vem ai! As crianças de hoje serão os adultos de amanhã! São os que fazem a manutenção da cultura, aqueles que aprendem a preservar o que é de preservar, mas que deverão desenvolver espírito critico construtivo para que aquilo que ainda é belo não caia no marasmo da saturação! Aqueles que deverão inovar, pegando nos valores e integrar nessa inovação!

Mas no que respeita à parte humana, muitos se levantarão a dizer: Coitadinhos, são criancinhas a fazerem um sacrifício tão grande! Sim, talvez! Mas todos aqueles que passam por uma infância com algum espírito de sacrifício, são aqueles que em adultos facilmente vencem as adversidades da vida! Mas será que muitos dos que evitam expor as crianças a tão elevado esforço, não serão muitos dos que exigem, várias vezes por semana, sacrifícios desportivos ou culturais para que estejam ente os melhores! Nem numa, nem noutra vejo qualquer tipo de problema, desde que não haja exageros. É com sacrifícios que se forma grandes personalidades. E se de tenra idade se habituarem a alguns sacrifícios, num futuro, o que para muitos são dificuldades, para eles serão sacrifícios banais! Mas como não é a sociologia que me move, mas sim a fotografia, deixo estas reflexões para os entendidos e apresento os retratos de um povo pequenino serão o futuro de um país!

Estes também são retratos da Romaria da Senhora D’Agonia.

O primeiro quadro pode bem ser a recriação de uma imagem da fotografia do principio do século XX, onde a progenitora aparece com o filho ao colo com indumentária da época.

You did not specify a return url in the settings
You did not specify a price in the shortcode

Na sua inocência, algumas já revelam umas postura própria do desfile, representando condignamente o traje regional minhoto.

You did not specify a return url in the settings
You did not specify a price in the shortcode

Eles são menos que elas, mas estão presentes. Alguns, usam a arte da pedrada, mas em vez de pedras lançam pedaços de boroa para o público que assiste. Ato que é já tradição, quer por crianças, quer por adultos, e que não imagino a sua origem!

You did not specify a return url in the settings
You did not specify a price in the shortcode

Retratos que farão história com olhares que ficam na memória.

You did not specify a return url in the settings
You did not specify a price in the shortcode

É olhar peculiar que muitas vezes fitam quem os documenta, num olhar fotogénico sem representação e de uma simplicidade sem igual.

You did not specify a return url in the settings
You did not specify a price in the shortcode

O cartaz

O que tas a fazer!?

Tou a fazer o Cartaz!

Cau cartás!?

O Cartaz das festas da Romaria da Senhora D’Agonia!

Intom bamos ber!

Lá vem ela no carro com sua imponência. Rainha por três dias nas festas em honra da Senhora D’Agonia. Diz adeus aos forasteiros e também aos “dentrosteiros”.

O cartaz
O cartaz

Mas o carro continua e o sorriso rasgado, faz toda a gente sorrir, menos os contestatários e os muito outros sisudos. Porque polémica aparte, o que importa são os louvores. Fiquei triste porque o meu cartaz não foi escolhido! Ah! Pois é! Eu também tinha uma proposta. Um cartaz que nada dizia, com uma imagem sem nada conter, em tons de infravermelho carregado de riscos ultravioleta! Original o meu cartaz de uma composição sem elementos, merecia pelo menos uma menção honrosa pela honra de apresentar um cartaz que não se vê!

O cartaz
O cartaz

E a marcha continua! Non stop! Há ainda muito mais de um kilometro para fazer e como se diz cá na terra, ainda a procissão vai no adro!

O cartaz
O cartaz

Mas esperem para o ano! Estou a pensar numa proposta! Vai ser pro sem bela posta, desenhada toda à mão em papel canson. Riscado todo à pena, só com água da torneira e colorida com aguarela à base de água destilada com pigmento incolor. Será um desenho provocador, para estimular o rancor!