prédio do coutinho

O prédio do coutinho, o emblemático edifício jardim, de enquadramento desenquadrado, objecto de redundância política e ícone da arquitectura, pelo exemplo do mau urbanismo que podia ser a torre Eiffel de Viana do Castelo, mas foi transformada no adamastor que navegador ainda não encontrou, capaz de enfrentar as correntes e transformar este monstro num Cabo da Boa Esperança. Particulares usufruíram dele para o público pagar a má imagem. Ontem e hoje, o mal que é feito para benefício de alguns, tem a reposição do bem pago pelo todo. Mas não é essa guerra que me leva a fazer todos verem com os meus olhos. Decidi remodelar a arquitectura de obra tão polémica que se encontra quase devoluta e que tende a transformar-se numa vergonha degradada.

Esta é a proposta de remodelação de uma arquitectura que, segundo os urbanistas, não cumpre com os requisitos urbanísticos, sobrepondo uma outra obra que consta ter sido objecto da estudo urbanístico. Mas como diz o ditado, “o que torto nasce, tarde ou nunca se endireita!”.

À data da publicação deste artigo, 2015 novembro 22, não se sabia muito bem para quando estaria prevista a sua demolição. Mas foi anunciado que será para o início de 2018 e assim esta imagem, dentro da algum tempo, ficará para os anais dos arquivos históricos.

Depois da revisão de 14 de outubro de 2017, e voltando à revisão em 9 de janeiro de 2019, isto é, início de 2019, continuamos com a luz ao fundo do túnel completamente apagada. Como a iluminação pública a ser substituída por iluminação LED, será que poderá a luz natural, tão esperada, poderá vir a ser substituída por um lampião de LEDs!?

Data da atualização: 2017 outubro 14

prédio do coutinho ou edifício jardim
prédio do coutinho ou edifício jardim

#sol de Riba

Lá de Riba o sol põe-se por entre montanhas e neblina. Um sol poente e diferente do sol que e põe no mar.

TMA_0593

arte macro com smartphone

image

Se alguém pretende por em causa se pode ou não fotografar-se com smartphone tem aqui a prova de que até macro se pode fazer e ao adequar a composição às limitações do equipamento é basicamente o que se faz, até com uma DSLR, produzindo arte macro com smartphone.