Só é cego quem não quer ver! Só vê o que quer quem quer!

Casa da música numa musicalidade urbana!
DSC_3731a

Notas de rodapé:
Sim, rodapé no pé da estupidez! Claro, porque isto podia ser uma praia para os estupidos, ignorantes e gente que tem um tuberculo na caixa encefálica que só serve para ocupar espaço e que na sua consistencia mais se assemelha a merda! Para essa tipologia de espécies que só se vê a si próprio, isto assemelha-se à vista de uma praia tipo Caraíbas!
Lamento que o cerebro desse Umanos, sim, não é humanos, seja tão isento de sensibilidade que se deleita a babar palavras soltas gratuitamente sem prever que essas palavras se assemelham a punhais dilacerantes!
De fato, esta é a vista de um lugar onde gente com conhecimentos, não gratuitos, consegue dizer e reconhecer a realidade de quem vive em sofrimento!
Só não consigo entender, como é que gente capaz de criticar gratuitamente e como se fossem entendidos, não ocupam praias destas!!!
Mas a minha ideia de critica é muito objetiva, de uma forma brejeira, critico é aquele que tem dor de cotovelo!
De uma forma mais sufisticada, e já para gente inteligente, critico é aquele que não atingiu o patamar da inteligencia pratica e criativa e que numa atitude de extravazar as frustrações se limita a criticar os outros de forma depreciativa com forte fundamentação no “eu acho que, esta é ou não é a tua praia!”

Assombração II! Vultos à solta…

Presentes no momento, mas escassos no tempo! A nossa presença dilui-se no tempo enquanto vivemos!
Só inertes permanecemos no tempo, mas por período limitado!
DSC_3734a